30/10/2017

Implementação da BNCC

Municípios e estados planejam juntos a implementação da BNCC

Secretários-executivos e técnicos da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e representantes do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) de todos os estados do país se reuniram refletir e planejar a implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

O Seminário Regime de Colaboração e Preparação para a Implementação da BNCC, uma iniciativa do Consed e da Undime que contou com o apoio do Movimento pela Base, aconteceu em São Paulo nos dias 26 e 27 de outubro, e contou com cerca de 80 participantes de todos os estados do pais. O objetivo foi pensar um plano de ação para estruturar as redes de ensino para o processo da implementação e, em particular, o regime de colaboração entre estados e municípios.

“A implementação em regime de colaboração será fundamental para que todos os municípios tenham as mesmas condições de levar a BNCC para as salas de aula”, afirmou Aléssio Costa Lima, presidente da Undime, na abertura do seminário. “Preparar as redes para a implementação é fundamental e urgente”, disse Cleide Bochixio, secretária-adjunta da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo.

Construção conjunta de um plano de ação para a implementação

Durante o seminário, os representantes da Undime e do Consed participaram de oficinas que contaram com o apoio de profissionais da Comunidade Educativa – Cedac, responsáveis técnicos pelo Guia de Implementação da BNCC, publicação do Consed e da Undime. O Guia de Implementação traz sugestões de como estabelecer uma governança dentro das secretarias para que tanto o regime de colaboração como o início do processo de revisão curricular à luz da BNCC sejam colocados em prática.

Trocas de experiências e aprendizados, com apoio do Guia de Implementação

Orientações técnicas do Cedac

Além disso, estados que já iniciaram esse trabalho, como Mato Grosso do Sul, Sergipe e Espírito Santo, puderam compartilhar o que fizeram e como executaram suas ações até agora. Espírito Santo, por exemplo, desenvolveu uma pesquisa diagnóstica para identificar as práticas curriculares de seus municípios. Mato Grosso do Sul já iniciou a formação das diretorias regionais sobre os impactos da BNCC e, assim como Sergipe, já tem a maioria dos municípios do estado em processo de articulação do regime de colaboração.

Mato Grosso do Sul mostra como está organizando a implementação

Sergipe apresenta sua experiência de articulação de regime de colaboração

Saiba mais sobre regime de colaboração

Fernando Abrucio, professor da FGV, explica o que é o regime de colaboração e sua importância para reformas educacionais e para a Base Nacional Comum Curricular.