+

17/09/2019

Material reúne princípios e orientações para a implementação da educação integral

Documento interativo “Caminhos para a Educação Integral” reúne consensos para equipes de secretarias, formadores de gestores e de professores, gestores escolares e professores.

                                          Acesse o documento completo aqui.

Desenvolvido a partir de um encontro com a participação de mais de 70 colaboradores, entre especialistas, professores e gestores de organizações da sociedade civil, instituições de ensino, secretarias de educação e comunidade acadêmica, promovido pelo GT de Desenvolvimento Integral do Movimento pela Base, em abril de 2019, o documento Caminhos para a educação integral busca trazer consensos sobre o que é essencial para a implementação da educação integral por redes e escolas.

Clique no vídeo abaixo para saber mais sobre o encontro:

Totalmente interativo, o documento está dividido em três partes: um conjunto de princípios para nortear tomadas de decisão, orientações sobre como colocar intenções em prática e um glossário para alinhar conceitos e terminologias. O público-alvo do documento é bem abrangente: contempla equipes de secretarias, formadores de gestores e de professores, gestores escolares e professores. 

O Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Educação (Consed) realizou a revisão técnica. 

O Movimento Pela Base também preparou cinco vídeos, cada um referente a um grupo de princípios abordado no documento. Confira aqui. 

A Educação Integral e a BNCC

O desenvolvimento integral é um direito dos estudantes da Educação Básica brasileira, de acordo com a BNCC. A concepção de educação integral pressupõe o desenvolvimento do ser humano em suas dimensões intelectual, física, emocional, social e cultural. O alcance desse objetivo só será possível com o engajamento de todos os atores educacionais no processo de implementação da BNCC nas redes de ensino e nas escolas. 

Aspectos da educação integral já são desenvolvidos pontualmente em experiências de redes e escolas brasileiras, com projetos e práticas pedagógicas que trabalham com a comunidade escolar e no território conceitos como participação, colaboração, cooperação, liderança, protagonismo estudantil, integração com e da comunidade, gestão democrática, inovação, período integral, entre outros. Da mesma forma, alguns documentos como os Parâmetros Curriculares Nacionais, também mencionam uma educação para o desenvolvimento de todas as dimensões do indivíduo. 

Entretanto, ao evidenciar e priorizar a educação integral, a BNCC – referencial obrigatório para todos os currículos e práticas pedagógicas da Educação Básica – é uma oportunidade para que todos os atores e elementos do sistema educacional tratem o desenvolvimento integral com intencionalidade, quer seja nas políticas públicas, nos documentos curriculares, nas práticas pedagógicas, na gestão das escolas, nos materiais didáticos, na formação de professores. Se bem conduzida, a implementação da educação integral, conforme determina a BNCC, pode ser um passo significativo para uma formação plena e equânime de todos os estudantes brasileiros nos diferentes territórios.