Na última sexta-feira (19/06), foi lançado o estudo “A Educação não pode esperar”, o qual apresenta um mapeamento das ações adotadas por 232 redes municipais e 17 redes estaduais durante o período de suspensão de aulas. A pesquisa foi realizada em conjunto pelo Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede), o Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (CTE-IRB) e 26 Tribunais de Contas brasileiros.

De acordo com o levantamento, 82% das redes municipais e as 17 redes estaduais possuem alguma estratégia para oferecer aulas ou conteúdos pedagógicos aos estudantes durante a pandemia. O estudo indica ainda que 93% das redes de ensino utilizam a BNCC como referência para o planejamento desses conteúdos, 87%, o Currículo de Referência e 83%, o Plano Político Pedagógico (PPP).

A pesquisa também mostra como as redes estão se preparando e quais as principais preocupações para a volta às aulas, como estão lidando com o suporte e formação de professores e como estão fazendo a distribuição de alimentos às famílias dos estudantes. Confira o estudo na íntegra aqui.